RSS

Estação de Passa Quatro

Em construção.

A estação de Passa Quatro é o ponto inicial do Trem da Serra da Mantiqueira, onde concentra-se o material rodante usado na operação, bilheteria, exposição fotográfica e oficina para reparos leves de material rodante.

A estação  em 1884 com a inauguração da ferrovia Minas e Rio e sempre foi local de grande movimento de trens, devido a ser o ponto de operações para os trens que viajavam do Sul de Minas para Cruzeiro através da Serra da Mantiqueira.

[FOTO ESTAÇÃO]

Devido a sua localização, exatamente antes da Serra da Mantiqueira era o ponto estratégico para os trens provindos do interior de Minas Gerais serem preparados para atravessarem a serra. O trecho de serra dessa ferrovia sempre foi um grande gargalo, assim como em qualquer ferrovia. No caso da Minas e Rio, com rampas de 3%, ou seja, a cada quilômetro a linha se eleva 30 metros e curvas de 80m de raio, que para os padrões de hoje é um perfil impensável. A titulo de comparação, uma ferrovia moderna hoje em dia é construída com rampas de no máximo 1,5% (já consideradas fortes para determinadas composições)  e curvas de 600m de raio.

Devido a sua localização estratégica, foi construído um grande pátio de manobras para “estocagem de composições” e um abrigo para locomotivas, usado para dar suporte as locomotivas que trabalhavam na serra entre Passa Quatro e a estação Coronel Fugêncio. Assim, as grandes composições provindas do interior de Minas Gerais eram fracionadas em trens menores capazes de vencer a Serra da Mantiqueira.

Para se ter uma idéia do gargalo imposto pela serra, podemos analisar as operações nos últimos anos de operação da ferrovia nos anos 80, as composições carregadas chegavam em Passa Quatro com 40 vagões, sendo tracionados geralmente por duas locomotivas, que depois fracionavam o trem em composições de 4 vagões a 6 vagões para descerem para Cruzeiro. No sentido inverso, era comum também uma locomotiva partir de Cruzeiro com 10 vagões vazios e retornar apenas com dois vagões carregados.

[FOTO BARRACÃO]

Em Passa Quatro eram também abrigadas as locomotivas chamadas no meio ferroviário de “helpers”, que são locomotivas que trabalham apenas em determinado trecho empurrando composições serra acima. Em Passa Quatro as locomotivas “helpers” eram abastecidas e auxiliavam trens até a estação Coronel Fugêncio, no topo da serra, neste ponto as locomotivas desengatavam, eram invertidas no girador de locomotivas e retornavam a Passa Quatro. Já de volta a Passa Quatro, eram invertidas no triângulo de reversão e abastecidas para nova viagem.

Histórico

O trem inaugural chegou em Passa Quatro sendo puxado pela locomotiva N 7, chamada de “Couto de Magalhães” trazendo o Imperador D. Pedro II e sua comitiva imperial em 14 de Junho de 1884, trem este conduzido por Tomás Morton, de nacionalidade inglesa.

Acervo ABPF

O imperador desembarcou para ser saudado pelo povo e autoridades, a Imperatriz Teresa Cristina e o Marechal Conde D’eu não desembarcaram e receberam no interior do carro Ana Mota Pais, fundadora da cidade de Passa Quatro.

Com a ferrovia em Passa Quatro, os capitais antes investidos em tropas de carga, buscaram novos investimentos e a economia fumageira avançou para se tornar a principal atividade econômica, surgiram assim dezenas de armazéns de fumo, a cidade se expandiu, criando-se então novas ruas, praças, avenidas e novos loteamentos. Os chafarizes trocados por redes de água, fossas trocadas por rede de esgoto, todas redes planejadas pelo famoso engenheiro Paulo de Frontin.

Até 17 de julho de 1921, a cidade usava o telegrafo da estação para transmitir ou receber seus telegramas até que após aquela data foi inaugurado uma agência do Telégrafo Nacional, segundo o semanário passaquatrense Correio do Sul, de 24 de julho de 1938.

Revolução de 1930

A diretoria da estrada de Ferro estava sediada em Cruzeiro e em 30 quando explodiu a revolução, seu atual diretor Alcide Lins (empossado a apenas nove dias) com apoio de funcionários conseguiu em pouco tempo transferir maior parte do material rodante para Passa Quatro, que passou a ser então sede da ferrovia.

O trem que viera fechando a viagem, já numa operação de guerra, tivera uma missão: passar graxa nos trilhos buscando impedir ou retardar a possível perseguição das tropas paulistas.

Em Passa Quatro, Alcides Lins passou o seguinte telegrama para Alaor Prata, do Governo de Minas:

Comunico estação rádio Cruzeiro fechada e não havendo elementos de resistência efetivo, vem acompanhando dos chefes de tráfego. Todas as providências que tempo permita foram tomadas. Todo o dinheiro aqui”.

Da estação de Passa Quatro expediu dezenas de telegramas às autoridades mineiras, informando, pedindo reforços, indicando estratégias, clamando providências. Depois, quando as tropas paulistas desceram a serra, ele, sempre muito bem informado, levou seus vagões e locomotivas para Soledade (hoje estação ponto final do Trem das Águas).

Revolução de 1932

Durante a revolução constitucionalista de 1932 a estrada de ferro foi teatro das mais sérias operações de guerra e elemento estratégico para conter as tropas mineiras que invadiriam São Paulo atráves da garganta do
Embaú, rota usada pela estrada.

A cidade de Cruzeiro foi novamente ocupada e a sede da estrada ocupada pelas tropas paulistas. O diretor da estada, Alcides Lins desta vez não teve tempo para se deslocar com a administração e materiais da estrada para Passa Quatro, ficando isolado em Cruzeiro do restante da ferrovia. Foi então improvisada uma nova diretoria que dirigiu o restante da estrada a partir de Soledade.

Tropas federais desembarcando em Passa Quatro

O Grande Túnel acabou se tornando um dos principais fronts da revolução e a cidade de Passa Quatro acabou sendo invadida pelas tropas paulistas em 10 de Julho. As tropas Paulistas acabaram sendo expulsas da cidade, mas sem antes minarem e explodirem a ponte ferroviária no centro da cidade.

Trem armado em Passa Quatro

Logo os combates se concentraram no Túnel da Mantiqueira com as tropas federais pressionando as tropas paulistas que foram perdendo território até que Cruzeiro foi tomada pelos federais.

Passa Quatro acabou sendo também o local onde Juscelino Kubitschek atuou como médico nas tropas mineiras e ficou instalado em Passa Quatro.

Atualmente

No momento a estação é utilizada pela ABPF como ponto de partida do Trem Serra da Mantiqueira e sede de operações do passeio. Na estação além do trem é possível encontrar exposição fotográfica sobre a revolução Constitucionalista de 1932.

Em 2012 foram iniciadas as reformas da estação, que constituem entre outros trabalhos:

  • Troca do telhado
  • Reforma do saguão principal e áreas comuns
  • Reforma do depósito de material rodante
  • Reforma da caixa d’agua.

Links Relacionados

Fontes

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: