RSS

Trem da Serra da Mantiqueira

Trem logo após partir da estação de Passa Quatro

Trem logo após partir da estação de Passa Quatro

O Trem da Serra da Mantiqueira é um trem operado pela regional Sul de Minas da ABPF na cidade de Passa Quatro – MG. O trem parte da estação central de Passa Quatro em direção a estação Coronel Fulgêncio, localizada no alto da Serra da Mantiqueira, próxima ao Grande Túnel, na divisa de estados entre São Paulo e Minas Gerais.

Informações Gerais

Recomendamos que sejam feitas reservas através dos telefones abaixo e/ou verificado disponibilidade com antecedência.

  • Trajeto: Passa Quatro – Estação Coronel Fulgêncio, 10 kms
  • Telefone da Estação: (35) 3371 – 2167 (horário comercial e finais de semana)
  • Reservas: suldeminas@abpf.com.br ou ligar para (35) 3371 – 2167 (horário comercial e finais de semana)
  • Formas de Pagamento: dinheiro
  • Valores: R$50,00 por pessoa, valor promocional para todas as idades (válido até 31/12/2016)
  • Grupos: favor ligar para (35) 3371 – 2167 (horário comercial e finais de semana)
  • Para fretamentos ou agendar trens extras, contactar a estação
  • Endereço: Av Benedito Valares 159, Praça Dr Paulo de Frontin, S/N, Estação Ferroviária, CEP 37460-970
  • Funcionamento:
    • Sábados: 10:00 hs e 14:30hs (horário da tarde sujeito a confirmação)
    • Domingos: 10:00hs
    • Durante feriados e épocas de grande movimentos são feitas viagens extras, contactar a estação para maiores detalhes e agenda.
    • Duração total do passeio: duas horas
  • Também temos disponível programação especial para escolas, para mais informações, visite: Trem Turístico Cultural para Escolas

Roteiro

O trem parte da estação de Passa Quatro, que fica no km 34 da antiga The Minas and Rio Railway Company, sendo que na estação os passageiros podem visitar uma exposição fotográfica no hall da estação ao som de música típica regional.

Após a partida o trem se dirige a estação Manacá, no km 30 da ferrovia, nesta estação é feita uma breve parada onde os turistas podem visitar uma feira de artesanato e guloseimas enquanto a locomotiva é preparada para subida da serra.

Trem na Estação Manacá

Trem na Estação Manacá

Partindo da estação Manacá o trem inicia a subida da serra, passando pelas corredeiras do Manacá e a ponte Estrela.

Chegando a estação Coronel Fulgêncio, km 25, cota 1085m, o trem realiza uma nova parada, os passageiros podem então conhecer a exposição fotográfica de minisséries filmadas no local, Mad Maria e JK – minissérie, ambas da Rede Globo; fotos de máquinas e carros recuperados pela ABPF; e fotos da Revolução Constitucionalista de 1932. Também é oferecido um passeio cortesia ao Túnel.

Após as manobras, trem parte de volta a Passa Quatro, fazendo uma breve parada na ponte Estrela para fotografias.

Composição subindo a Serra da Mantiqueira

Composição subindo a Serra da Mantiqueira

Em feriados e datas festivas ocorrem trens extras, mas deve-se confirmar ligando para a estação e verificando a disponibilidade. Não existe uma regra e os trens extras são adicionados conforme a necessidade e movimento na cidade.

É possível realizar fretamento para grupos, escolas, excursões, etc, que podem fretar um trem inteiro em dias e horários alternativos. Entrar em contato com a estação para maiores detalhes.

Trem Turístico Cultural para Escolas

Temos também uma programação especial para escolas, com um roteiro personalizado além de guia dedicado para prestar informações sobre a ferrovia, ABPF e história da região, para mais informações, visite: Trem Turístico Cultural para Escolas.

Material Rodante

O trem é formado pela locomotiva 332, uma genuína locomotiva a vapor, construída em Novembro de 1925 pela Baldwin Locomotive Works, USA. Do modelo Pacific (rodagem 4-6-2) e traciona dois carros de passageiros de madeira construídos nas oficinas de Belo Horizonte da Estrada de Ferro Central do Brasil, em 1956.

Atualmente nas oficinas de Cruzeiro esta sendo reformada a locomotiva 522, uma Mikado (rodagem 2-8-2), construída pela ALCO, USA em 1926 que em breve irá trabalhar no trem juntamente com a locomotiva 332.

Além da locomotiva e dos carros, existe em Passa Quatro um auto de linha e um vagonete que são utilizados pela turma de via na manutenção da ferrovia.

Passa Quatro

A cidade é localizada no Sul de Minas Gerais e vem se firmando, nos últimos anos como um polo de atração para o ecoturismo e o turismo rural. Em seu território se encontram diversas atrações turísticas como montanhas, cachoeiras, uma Flona, fazendas, pesqueiros entre outras atividades que favorecem a realização de atividades turísticas dessa natureza.

Também existem atividades turísticas relacionadas a festejos como o ‘Corpus Christi’, a Festa do Gado Leiteiro, o Carnaval, Festivais de Bandas, passeios ciclísticos, ralis etc.

Na cidade também existem casarios construídos desde o final do século XIX até as primeiras décadas do século passado.

Outra atração é o “Brasil Nota 10”, um museu de cenários históricos brasileiros modelados em miniatura, alguns com mais de 200 personagens retratando momentos históricos do Brasil, como a Revolução Constitucionalista de 1932.

Acesso

A cidade é praticamente equidistante das capitais de São Paulo e Rio de Janeiro, sendo facilmente acessada através da rodovia Presidente Dutra, onde em Cruzeiro deve-se pegar a SP-052 até Passa Quatro.

Roteiro a partir de São Paulo

Roteiro a partir do Rio de Janeiro

Vídeos

Páginas Relacionadas

Links Externos

 

96 Respostas para “Trem da Serra da Mantiqueira

  1. Antonio Gonçalves da Silva

    27 de setembro de 2011 at 21:55

    como é gratificante poder voltar no tempo de infância,neste site que voçês nos agracia,pois eu lembro muito bem de quantas vezes subi de trem ;por esta serra! maravilhosa! veja bem!? meu tio Antonio trabalhou na central do Brasil, servindo na estação de cachoeira Paulista e minha prima Isabel , dizem que chegou até operar locomotiva em manobras no patio. por isso e muito mais, eu sou amante da ferrovia. abraços a todos que zelam por essa memória. Gonçalves

     
    • bcsanches

      28 de setembro de 2011 at 8:16

      Obrigado Antonio! Abraços!

       
  2. andré luiz gonçalves pereira

    12 de outubro de 2011 at 10:17

    bom falar de locomotivas em trem,tem muito haver muito comigo,pois toda minha familia tios pai e avos trabalaharam na central do basil,fico muito feliz de ver um acervo todo preservado,mantendo a historia desse pais.

    abraços

    andré luiz

     
  3. milton

    29 de outubro de 2011 at 22:37

    Aqui em Sergipe eu sempre preferir a viagem pelos trilhos, eu não optei pelo rodoviário como fez o povão humano com excessão de um carro SCORT que eu tive, só que o rodoviário foi um golpe mortal ao ferroviário a ponto de ser erradicado. O que cairia bem é um trem turístico de Aracaju a São Cristóvão, cidade histórica com seus casaqrios clássicos distante 28 km da capital e 45 mn de trem. P,ra ser um incentivo ao povo era se esse trem turístico fosse de uma tarifa bem promocional. Deveras, é uma viagem ecológica, no dizer do alagoano “viagem pelos matos”

     
  4. wagner

    19 de novembro de 2011 at 10:13

    bom dia
    vc tem previsao de quando o trecho entre sao sebastiao do rio verde a s.lourenço
    vai ficar pronto??

     
    • bcsanches

      19 de novembro de 2011 at 11:42

      Olá Wagner,

      a previsão é que leve em torno de 1 ano e meio para o trecho possa ser inaugurado. Existem duas equipes trabalhando, uma em cada ponto da linha.

       
  5. Adriano Araujo

    13 de dezembro de 2011 at 14:32

    esse passeio é muito chique, o legal mesmo seria se continuasse até Cruzeiro recuperando os trilhos que já existe ai seria bem mais chique, mas quem sabe acontece um dia e parabéns pelo site. abraços

     
    • bcsanches

      13 de dezembro de 2011 at 14:34

      Quem sabe a cidade de Cruzeiro não resolve seguir o exemplo de São Sebastião do Rio Verde? O trecho mais bonito da linha são os 24km entre Cruzeiro e o túnel.

       
  6. Antonio Carlos Arruda

    13 de março de 2012 at 21:01

    A “bandeira” da preservação ferroviária precisa estar firmemente presa no “mastro” dos projetos bem elaborados, maduros, “pés no chão”, e cuja viabilidade técnica/operacional/econômica sejam factíveis.
    É preciso muito mais do que romantismo e o espírito poético do apelo nostálgico, é necessário “suar a camisa e entrar de cabeça”, é indispensável a paixão, o “sange fervendo na veia” e a abnegação incondicional à causa.
    A ABPF Sul de Minas é hoje uma prova inconteste disso.
    De um lado a paixão, o amor pela causa, a abnegacão e a coragem para enfrentar os obstáculos.
    De outro a racionalidade, o profissionalismo, a transparência, e a capacidade e trabalhar com foco em resultados.
    Parabéns !!!!

     
    • bcsanches

      18 de março de 2012 at 19:04

      Obrigado Arruda e seja bem vindo de volta!🙂

       
  7. Eduardo Martinelli Filho

    24 de junho de 2012 at 8:51

    Bruno, A título de recordação de minha infância: A composição da Rede Mineira de Viação ao vir do sul de Minas, com direção à cidade de Cruzeiro, após passar o túnel, parava em uma pequena estação, em que haviam crianças vendendo morango silvestre, colhidos na mata, conforme anunciavam, e que nunca compramos em virtude de não haver no trem quantidade suficiente de água para limpa-los. Como agora a mata está sendo cuidada por Órgão competente, seria um meio dos que aí moram, fazer exploração da referida fruta, mantendo a originalidade.

     
  8. Eduardo Martinelli Filho

    24 de junho de 2012 at 9:44

    Bruno, mais uma: Na época por mim utilizado da RMV, o Túnel da Mantiqueira, ao que se divisava através da janela de vidro, foi feito em escavação rochosa, e não como apresentado hoje em dia, todo revestido de concreto. Desejaria que fosse confirmado por alguma pessoa que testemunhou o descrito. Grato.

     
    • bcsanches

      24 de junho de 2012 at 10:52

      Não sei dizer Eduardo. Eu acredito que não, pode ser que em algum ponto fosse de rocha (se você atravessou ele antes de alargarem). Eu só conheço a versão atual e posso assegurar que hoje é tudo no concreto.

      As fotos antigas que já vi de ambas as bocas (antes do alargamento) mostram ambas bocas de tijolos, então pelo menos nas extremidades não era de rocha.

      O único túnel da linha que sei que era na rocha é o primeiro, mas no alargamento já fizeram com concreto. Os demais até onde me lembro das fotos, eram todos já revestido.

       
      • Eduardo Martinelli Filho

        24 de junho de 2012 at 11:31

        Bruno, na época de sua inauguração, creio que o homem ainda não dominava a tecnologia do concreto. Para bem da verdade há necessidade de consultar a documentação da ferrovia, e creio não ter na Internet.

         
  9. bcsanches

    24 de junho de 2012 at 13:22

    Concreto não, mas eles faziam revestido de tijolo e cimento.

     
  10. tiago santos

    8 de julho de 2012 at 23:09

    sou fanatico por locomotivas e fico muito feliz em saber q nossa regiao fo escolhida p esse trabalho.Pena que os trilho de minha cidade que é caxambu, foram retirados..ai sim seria o ciruito das aguas fechado pelos trens……

     
    • bcsanches

      9 de julho de 2012 at 14:43

      A RFFSA tirou os trilhos no inicio da década de 80 ( se não me engano), isso dificulta muito o acesso a Caxambu😦.

       
  11. tiago santos

    9 de julho de 2012 at 14:25

    ola sanches, sou de caxambu, e sou fanatico por locomotivas. hoje resido em paraisopolis proximo a pouso alegre. e fico triste em saber que minha cidade natal poderia estar desfrutando disso, e nao pode pelo simples motivo que os trilhos foram retirados a muito tempo. Estive em pouso alegre e la existe uma locomotiva a vapor, que mais ou menos 3 a 5 anos esteve em funcionamento, e no momento está parada sendo corroida pelo tempo. Quero dar os parabens pelo trabalho, e como um fanatico por ferrovias, tenho um sonho de poder fazer um passeio em uma locomotiva a vapor, mas eu gostaria de fazer esse passeio junto com o maquinista….será que isso é possivel.? Espero sua resposta…..e estou sempre por aqui vendo as novidades.Quem sabe ainda seja capz da via até conceicao do rio verde ser recuperada….um abraco…tiago

     
    • bcsanches

      9 de julho de 2012 at 14:42

      Ola Tiago,

      obrigado por nos prestigiar. Sobre o passeio na cabine. Me mande um email para suldeminas@abpf.com.br que podemos combinar.

       
      • tiago

        10 de julho de 2012 at 14:24

        ok …sanches muito obrigado e logo entraremos em contato sobre o passeio valeu…..

         
  12. tiago

    10 de julho de 2012 at 14:27

    outra coisa ..sanches. Existe algum projeto p recuperacao do trecho até conceicao do rio verde? pois estive por lá algum tempo e os trilhos ainda estao no trajeto, no qual está bem destruido. será que ainda sera possivel ativacao deste trecho? um abraço

     
    • bcsanches

      10 de julho de 2012 at 14:44

      Recuperável sempre é, mas por parte da ABPF não existem projetos no momento.

       
  13. tiago

    12 de julho de 2012 at 10:54

    ok sanches valeu pela atencao…e estou sempre aqui de olho nas novidades…e sobre o passeio ..em breve entrarei em contato….um abraco

     
  14. Edson Amaral

    2 de agosto de 2012 at 15:24

    Fiz esse passeio e gostei muinto, vale apena conhecer, muinto bomm,rssssss

     
    • bcsanches

      2 de agosto de 2012 at 15:29

      Obrigado Edson, ficamos felizes em saber que tenha gostado.

       
  15. Renan

    23 de dezembro de 2012 at 0:05

    Um grande aventureiro chamado Jorge realizou a travessia a pé entre o desativado trecho ferroviário entre Cruzeiro (SP) – Passa Quatro(MG), cruzando a Serra da Mantiqueira . Foi uma grande aventura que resultou em belas imagens disponibilizadas no link abaixo ; vale a pena conferir e de um certo lado se entristecer por este belo trecho ter chegado como está hoje :

    http://jorgebeer.multiply.com/photos/album/125/Travessia-Cruzeiro-Passa-Quatro

     
    • bcsanches

      23 de dezembro de 2012 at 16:45

      Eu fiz isso por volta de 1995 ou 1996. Infelizmente não registrei. É uma pena mesmo ter chegado a esse ponto, um trecho que até 2000 estava operacional pela ABPF.

       
  16. Osvaldo Gomes

    26 de junho de 2013 at 22:27

    É a primeira vez que visito este blog e de antemão digo que achei muito bacana mesmo. A “história” foi quem me levou a chegar até aqui, visto que sempre tive grande apreço por este tema. É louvável que tenhamos um site destes e digo a vocês para que nunca desistam de divulgar, publicar, semear, etc um pouco da história do Brasil, tão desprezada pelos nossos péssimos governantes, por uma equação deveras conhecida por nós: Quem não conhece sua história, não pode modificar o futuro !!! Isso é antigo, mas ainda muito atual. Esta é apenas uma das razões que não se investe em educação, porque assim teremos condições de escolher pessoas mais dignas de administrar o país sem pensar somente no próprio bolso. E nós teremos um comportamento mais incisivo com relação aos políticos e com a nossa própria conduta como cidadãos. Como amante da história, torço e espero ouvir de vcs em uns quatro anos, que esta linha esteja em atividade novamente até a cidade de Cruzeiro, seja para fins turísticos, comerciais. Revivendo e fomentando assim o desenvolvimento das cidades no entorno. Espero que fique sabendo pois quero ser um dos passageiros !! Até trabalharia num projeto tãop grandioso como este, tal e minha afinidade com este tema. Desejo toda a sorte e sucesso neste empreendimento..Vamos em frente ! POLÍTICOS DE CRUZEIRO…ACORDEM !!!

     
    • bcsanches

      27 de junho de 2013 at 22:11

      Osvaldo, muito obrigado pelos comentários!

      Cruzeiro acordar? Difícil….

       
  17. carlosdiascampos

    11 de julho de 2013 at 14:34

    Sanches, legal mesmo, descobrir este espaço das lembranças e historia das ferrovias, subí, menino a serra de Petrópolis e Teresópolis , viajei e muito pela linha para Casimiro de Abreu-RJ, trem que saia às 05:20hs da manhã , de Barão de Mauá, Leopoldina Raylway, tabem fui com meus pasi em algumas épocas, para Carangola-MG, zona da Mata, viagem nos trens noturnos, vagão dormitório, maravilhoso, andei de Litorina, vagões de aço, ar-condicionado, trens húngaros, creio. Viajei , no trem Ouro Preto – Barroso , trem turístico, tenho 65 anos e posso dizer, que curtí e muito locomotivas à vapor, que são máquinas incríveis, o som, o cheiro , o prazer de cruzar o tempo. O museu Ferroviário do trem, no Engenho Novo-RJ, possui a Baroneza, primeira locomotiva, do Barão de Mauá, vale a pena , os amigos visitarem. Continuo amando as locomotivas, a ultima que vi, a de Monte Alegre do Sul, circuito das Aguas Paulista, perto de Serra Negra, locomotiva restaurada, e a estação idem. Valeu , Sucesso!!.

     
    • bcsanches

      11 de julho de 2013 at 14:53

      Obrigado Carlos! Belas lembranças!

       
  18. Aloizio Barros de Souza

    22 de outubro de 2013 at 21:01

    Fantástico. Fim de semana desses vou conhecer esta maravilha de perto.

     
    • bcsanches

      23 de outubro de 2013 at 8:32

      Obrigado Aloizio, vai ser muito bem vindo!

       
  19. WILLIAM

    5 de novembro de 2013 at 14:23

    olá, sou de franca – sp, estava lendo no site sobre as locomotivas e lá diz que a locomotiva 332 já atuou na extinta linha turística entre pedregulho – sp e rifaina – sp, em 1994 meu pai me levou para fazer um passeio na linha entre rifaina e pedregulho e na época era a locomotiva 332, fiquei muito feliz em saber que a locomotiva ainda existe porque em 1996 quando a linha parou de operar, não fiquei sabendo para onde as locomotivas foram levadas, pensei que elas tinham sido sucateadas.
    No final do ano vou tirar um final de semana para poder ir até aí para fazer um passeio na locomotiva, vai ser fantástico poder andar nela de novo.
    só uma dúvida, quanto é o valor do passeio?

     
    • bcsanches

      7 de novembro de 2013 at 11:06

      Olá William,

      a 332 veio para a nossa regional, trabalhou em Cruzeiro, São Lourenço e agora esta em Passa Quatro. As demais locomotivas foram para Campinas.

      O preço lhe enviei por email.

      Obrigado pela visita e pelo comentário.

       
  20. Tiago santos

    4 de janeiro de 2014 at 23:10

    Ola sanches, tenho acompanhado os trabalhos de recuperacao do trecho ate sao sebastiao do rio verde. Quando estiver funcionando irei ai dar um passeio. Fiquei muito triste ao saber q os trilhos no trecho de soledade de minas passando por conceicao do rio verde tenham sido retirados, e uma vergonha, pois para mim era a unica esperanca de ver algum dia um trem cruzar o estado vindo de sp novamente…passando pelo gde tunel…forte abraco e parabens!

     
    • bcsanches

      5 de janeiro de 2014 at 11:12

      Obrigado Tiago!

      Infelizmente roubaram quase todos os trilhos de Soledade a Três Corações.

       
  21. Rosângela De A. Luna

    10 de março de 2014 at 23:41

    bacana!

     
  22. Regina C S Miranda

    31 de março de 2014 at 21:48

    Meus olhos encheram de lágrimas… Meu pai era maquinista, aposentou neste serviço que fazia com tanto AMOR, era simplesmente apaixonado por maquinas.Hoje tbm sou apesar de ser bem pequena… As fotos matéria estão perfeitas, parabéns.

     
    • bcsanches

      1 de abril de 2014 at 9:18

      Obrigado Regina! Quando quiser matar a saudade venha nos fazer uma visita!

       
  23. Francisco rocha

    8 de outubro de 2014 at 0:15

    Nunca me esqueço do velho trem da Mantiqueira da Rede Mineira de Viação, depois RFFSA.
    Nasci em um vagão ferroviário na antiga E.F. Noroeste do Brasil , Porto Esperança Corumbá
    no velho Mato Grosso – Pantanal.Meus pais tinham dupla residencia Rio e SP, viajava de trem
    frequentemente entre Rio e SP,nos noturnos Cruzeiro do Sul, Santa Cruz e nos diurnos paradores
    Litorinas, Trem Húngaro e outros.Passava as féria no Espírito Santo e pegava o noturno Para Campos dos Goytacazes e Cachoeiro de Itapemirim o “Cacique”.Viajei muito pela Cia Paulista
    Sorocabana, Mogiana e Noroeste do Brasil.
    Uma vez, quando criança peguei o trem em Cruzeiro com destino a São Lourenço MG,com minha mãe e tias, fazendo baldeação da Central do Brasil vindo do Rio de Janeiro uma viagem inesquecível.
    Aos 14 anos de idade fugi de casa, peguei um trem da Central na estação Roosevelt em SP (1968)
    desci em Cruzeiro e pretendia pegar o trem para Minas, mas fiz as contas e o $$ só dava para ir…
    O trem estava parado na plataforma de Cruzeiro e ia partir logo cedo, relutei e não peguei, o trem
    tinha vagões de madeira e era tracionado por uma locomotiva GM diesel elétrica.
    Resolvi acompanhar a linha a pé e saí na frente do trem, comecei a subir a Serra, o trem passou
    por mim cheio, continuei subindo a serra acompanhando a linha até chegar no túnel….
    Fiquei com medo de entrar no túnel pois é em curva e não via o outro lado, ouvi ruídos de carros passando sobre o túnel, uma estrada! Subi pelo mato até a estrada , era asfaltada até a divisa de MG, do lado mineiro era terra e atoleiro, resolvi voltar para Cruzeiro descendo a serra .
    Peguei o trem noturno parador da Central para SP e voltei para casa.
    40 anos depois, já casado e com filhos, voltei ao local junto com meu irmão, relatando a minha
    fuga de casa, que ele lembrava bem pelo desespero de meus pais com o meu desaparecimento.
    Chegando ao local onde subi pela mata para a estrada me deparei com um monumento escrito
    1932 e a imagem da Santa Aparecida.Não entendi nada pois não tinha nada no local em 1968.
    Desci até o túnel, não atravessei novamente, ví alguns montinhos de pedra ,e depois vários outros
    no meio do mato sobre o túnel.Continuei voltando ao local várias vezes até descobrir que naquele
    local aconteceu a batalha do túnel na revolução de 1932 e a razão da data no mirante.
    Do lado mineiro também tem um monumento em homenagem ao Coronel Fungêncio, morto em combate na revolução naquele local.
    Continuei frequentemente indo ao local pois moro no Rio e trabalho em SP e trafego frequentemente pela via Dutra (infelizmente não existem mais trens de passageiros).
    Acompanhei o esforço da ABPF de Cruzeiro para recuperar a composição para o trem
    turístico da Mantiqueira, no início.Existia até uma placa de Bronze em Cruzeiro comemorativa
    do cinquentenário da Rede Mineira de Viação, que devem ter roubado.
    Um dia junto com um alemão recém chegado da Alemanha desci até o túnel , o alemão entrou
    sumiu lá dentro e assobiou, entrei atrás e vi a luz do outro lado, entrei e atravessei…
    “O Túnel do Tempo”
    Paro por aqui pois a história é muito longa, e o trem da Mantiqueira mora na minha lembrança.

    Saudações Ferroviárias.

     
    • bcsanches

      10 de outubro de 2014 at 9:53

      Relato emocionante, obrigado!

       
  24. Francisco Rocha

    17 de outubro de 2014 at 15:27

    Ontem passei por Passa quatro, vindo de Minas, onde estava a trabalho com destino ao Rio
    de Janeiro.
    Sempre quando vejo uma estação,páteo e trilhos dou uma parada e fico observando, voltando no tempo imaginando as manobras do passado.
    Também sou fascinado por pontes e túneis ferroviários, até me tornei ferromodelista.
    Minha diversão na Infância e até hoje, era passar horas em um páteo de manobras ferroviário observando a formação das composições.
    Pois é; estava em Passa Quatro, com o pensamento longe no tempo quando ouvi o apito de
    uma locomotiva ao longe, imediatamente comecei a chorar…
    A locomotiva chegou (332) tracionando dois vagões cheio de idosos, para minha surpresa
    o maquinista era seu irmão.
    Parabéns pelo trabalho de vocês.
    Qualquer hora passo em Cruzeiro para conversar.

     
    • bcsanches

      20 de outubro de 2014 at 16:10

      Que bom! Obrigado pelo comentário!

       
  25. Felipe Canaverde

    1 de março de 2015 at 14:09

    Queria muito saber sobre a atual situação do trecho são Lourenço a são Sebastião do rio verde sou de SLC e trabalho com turista e sei o quanto sera crucial esse novo trajeto que sei que e maravilhoso queria muito que chegasse o grande dia da inauguração desse trajeto brilhante lindo já fiz apé 15 km de linha e achei deslumbrante o percurso …..
    Tenho uma paixão sobre as historias desses trilhos queria muito saber quantos tuneis que ha na serra da mantiqueira e não consigo ver fotos deles ……. Alguem me ajude a achar algumas fotos desses tuneis muito obrigado …….

     
    • bcsanches

      2 de março de 2015 at 11:43

      Olá,

      no momento as obras estão paradas devido a falta de dormentes, que eram de responsabilidade da prefeitura.

      Sobre os túneis, são 6 túneis no total.

       
  26. carlos neves martins

    14 de junho de 2015 at 14:16

    carlos neves.
    16\ 6\ 15.
    Ola viajo pelo Brasil inteiro, sempre de carro, onde tem cidade sempre paro ver se tem vestígio de ferrovia, sempre encontro estação abandonada outras sem movimento de trem mais conservada pela prefeitura local. sou apaixonado por trem maria fumaça, pontes e tunes, muitas das vezes vejo quilômetros de linha férrea abandonada no mato; isto e um descaso do dinheiro publico. esteve em Passa Quatro fiz um passeio maravilhoso de paria fumaça me senti nos anoas passados foi muito emocionante, que pena este passeio ficaria mais emocionante se foce ate cruzeiro. saudade da ferrovia.

     
    • bcsanches

      15 de junho de 2015 at 11:42

      Obrigado pela visita (tanto virtual, quando física) e pelo comentário!

      Infelizmente devastaram nossa infra-estrutura, não somente de ferrovias.

      Chegar até Cruzeiro é um sonho antigo, mas existem alguns desafios a serem superados para tornar isso possível!

      OBrigado

       
  27. LUIZ CARLOS GONÇALVES

    23 de junho de 2015 at 10:51

    oi bcsanches passei por pssa quatro e conheci a estrada de ferro e relembrei meu pssado tenho 64 anos e namorei uma menina em são loureç saia de são paulo e ia até cruzeiro e la eu pegava o trem com destino a tres corações e peno o que sobrou dela ma pretendo dar varios passeio pelo que restou

     
    • bcsanches

      23 de junho de 2015 at 17:15

      Oi Luiz! Viajou pastante por aqui pelo jeito!

      Obrigado!

       
  28. Marcos Antonio

    9 de julho de 2015 at 18:59

    Parabéns por resgatar o auge das ferrovias no Brasil, os trabalho é de suma importância para questão cultural em nosso País, gostaria muito de fazer essa viagem entre passa Quatro e Coronel Fulgêncio, mais uma vez parabéns pelo trabalho no resgate da História ferroviária no Brasil.

     
    • bcsanches

      10 de julho de 2015 at 9:18

      Obrigado Marcos!

       
  29. Marisa silva

    25 de outubro de 2015 at 9:29

    Muito bom ouvir esse barulho de café com pão manteiga não. .. volto a minha infância. .. que saudades … quero muito andar nesta maravilha como faço?

     
    • bcsanches

      28 de outubro de 2015 at 15:58

      Olá,

      nesta página temos informações completa sobre o passeio, horários, local de partida, etc.

      Obrigado

       
  30. Tiago Santos

    30 de dezembro de 2015 at 21:40

    ola sanches….como vai? continuo sempre acompanhando os trabalhos da ABPF SULDE MINAS, onde sempre nos faz emocionar com as fotos e a alegria em ver tudo isso ser recuperado. moro em paraisopolis mg, mas sou de caxambu….estive ai em sao lourenço no natal..foi muito legal o passeio. estarei sempre aqui acompanhando. sou fã do trabalho de voces…tudo de bom!

     
  31. josé campos

    3 de abril de 2016 at 7:04

    Bom dia. Gostaria de saber em quais situações vocês promovem viagens extras, Se possível, informar dias ( mês ) e número de viagens. Sou amante da ferrovia e por onde passo faço registro dos trechos, estações, equipamentos . Muito obrigado .

     
    • bcsanches

      4 de abril de 2016 at 9:40

      Olá, não existe uma regra ou forma de prever, pois as viagens extras dependem mesmo de público e demanda dos hotéis. Ocorrem quando hotéis e pousadas solicitam o passeio e atingem um mínimo de passageiros.

       
  32. vitor cesar castanho

    4 de julho de 2016 at 9:13

    E lamentável que tudo que beneficia a população os nossos governantes não preservam ,……..Acabaram com ás ferrovias para beneficiar os grandes grupos na exploração dos pedágios,…..Fico feliz em saber que existem pessoas como vocês que ainda nós dá uma esperança de curtir e matar a saudade nesses passeios……Viajei algumas vezes de trem quando ia para sul de minas , pegava o trem até cruzeiro em sp e fazia baldeação para o rio de janeiro, foi uma época boa em minha vida….Desejo sucesso a todos espero que vocês consigam aumentar essa malha ferroviária para essa nova geração conhecer e apreciar como era gostoso viajar de trem…..

     
    • bcsanches

      4 de julho de 2016 at 11:06

      Obrigado Vitor! Infelizmente, é o Brasil!

       
  33. sergio

    8 de julho de 2016 at 16:03

    Ola amigos sou de Conceição do Rio Verde, e passei por esta Ferrovia muitas vezes, moro no Rio, porém sei que apenas um pedaço da mesma continua em funcionamento, gostaria de um dia refazer todo este trajeto que trouxe-me de Conceição até Cruzeiro. E como disse o amigo bcsanches – o trecho da saída do túnel até Cruzeiro é dos mais lindos e creio eu um grande roteiro turístico. Saudade, abraço a todos.

     
  34. ALBERT SOARES DE MEIRA

    23 de julho de 2016 at 17:41

    Muito legal.

     
  35. sergio

    23 de agosto de 2016 at 15:19

    Sempre que puder darei um curtida nesta página, abraços.

     
    • bcsanches

      12 de setembro de 2016 at 15:38

      Obrigado!

       

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: